Os Melhores Jogos de 2010

Volvido o ano de 2010 chega a altura de apurar o que de melhor passou pela indústria dos videojogos. Tal como tantos outros, também decidi estabelecer os 10 melhores deste ano, tendo como base não os ratings dos mesmos mas sim a sua capacidade de me surpreender enquanto jogador. Este ano foi especialmente produtivo na medida em que se assistiu a lançamentos de jogos há muito ansiados e até a reboots surpreendentes e algo conturbados. Contudo o ano não estaria completo sem algumas séries preferidas que, como de costume, voltaram a fazer as delícias dos fãs.

Segue então o top dos 10 melhores jogos de 2010:

10 – Need for Speed: Hot Pursuit(PS3/X360/PC)

Não é segredo para ninguém que a conhecida franchise da EA tem vindo, ao longo dos últimos anos, a perder gradualmente a qualidade e a suas raízes arcade (muito devido anterior Need for Speed: Shift, com um cariz bem mais realista). A produtora Criterion (conhecida pela série Burnout) pegou na série e resolveu ressuscitar a “saga” Hot Pursuit, devolvendo assim os bólides exóticos e as excitantes perseguições policiais. O resultado é uma frenética condução arcade complementada com o Autolog, a inovadora plataforma online, que promete manter Need for Speed: Hot Pursuit dentro das consolas pelos próximos meses.

9 – Kingdom Hearts: Birth by Sleep(PSP)

O mais recente jogo da série fruto da união dos universos Disney/Final Fantasy pretende explicar a origem de toda a história com uma prequela ao título original e a encabeçá-la estão personagens e mundos Disney totalmente novos. Numa narrativa dividida por três personagens a história consegue cativar e construir um final que remete para a anunciada continuação da série. Nota também para os gráficos exemplarmente bem renderizados e para a reformulação bem conseguida do sistema de combate.

8 – God of War: Ghost of Sparta(PSP)

Mesmo que God of War III tenha conseguido captar mais as atenções dos fãs por ser o encerrar da série, é na portátil da Sony que Kratos consegue realmente ser o deus da guerra. Os gráficos são do melhor que existe na plataforma e a história reflecte o passado de Kratos como nenhum outro jogo da série o havia feito até aqui, motivo pelo qual é um jogo obrigatório para todos os fãs do fantasma de Esparta.

7 – Castlevania: Lords of Shadow(PS3/X360)

A série Castlevania sofreu este ano um reboot pelas mãos da produtora espanhola Mercury Steam, sob o olhar atento do sobejamente conhecido Hideo Kojima (responsável pela saga Metal Gear Solid). O resultado é um jogo de acção capaz de competir com as melhores franchises da indústria e que, pela primeira vez na série, funciona positivamente num ambiente 3D, acompanhado com gráficos e uma história memoráveis.

6 – Heavy Rain(PS3)

Desde que teve início a produção deste exclusivo Playstation 3 que a produtora Quantic Dream tem falado nele como uma mistura entre videojogos e filmes e parecem ter sido bem sucedida. Na verdade o jogo consegue oferecer uma história impressionante em que os laços entre personagens são fulcrais e os finais distintos de acordo com as decisões do jogador. As mecânicas de jogo também primam pela originalidade, tendo como base Quick Time Events (o jogador tem de carregar em determinados botões à medida que aparece no ecrã) resultando numa experiência diferente de tudo o que existe na plataforma.

5 – StarCraft 2: Wings of Liberty(PC)

Após 12 longos anos chegou a altura da ansiada sequela de StarCraft ser lançada, desta feita apenas com a campanha dos Terran, passada quatro anos depois dos eventos ocorridos na expansão Brood War. Reunindo tudo o que tornou o título original um clássico dos jogos de estratégia a produtora Blizzard provou novamente estar à altura das (altas) expectativas. É de esperar para os próximos anos as campanhas das outras raças do jogo, nomeadamente os Protoss e Zerg.

4 – Demon’s Souls(PS3)

A surpresa do ano veio de território nipónico sob a forma de um RPG que, apesar de extremamente desafiante, consegue ser bastante compensador. Sob a pele de um guerreiro (a classe e respectivas características estão dependentes do jogador) o jogador terá de livrar um reino dos demónios que o atormentam através de uma grande variedade de cenários. Com uma duração invejável Demon’s Souls é um jogo dedicado aos fãs de RPG’s dotados de grandes doses de paciência e perseverança.

3 – Super Mario Galaxy 2(Wii)

Uma das personagens mais reconhecidas da indústria dos videojogos voltou este ano e mostra o porquê de se encontrar na sua posição. A sequela de um dos melhores jogos da Wii conseguiu superar o legado do seu antecessor ao oferecer mundos mais vastos e mais diversificados. A componente da narrativa foi reduzida mas a jogabilidade dependente de gravidade é levada a novos extremos suportada por gráficos únicos na consola da Nintendo. Super Mario Galaxy 2 é dos melhores jogos da franchise assim como um dos melhores jogos de plataformas alguma vez feitos.

2 – World of Warcraft: Cataclysm(PC)

Lançado há já 5 anos World of Warcraft é um dos jogos mais icónicos da década e é com Cataclysm que a Blizzard consegue manter os jogadores habituais do popular MMO mas também fornecer argumentos suficientes para os jogadores mais antigos regressarem ao universo Warcraft. Ao refazer todo o continente de Azeroth, a Blizzard deu um mundo totalmente novo a conhecer aos seus fãs e com novas raças, profissões, zonas e masmorras, World of Warcraft: Cataclysm tem o que é preciso para figurar no pódio como um dos melhores jogos deste ano.

1 – Red Dead Redemption(PS3/X360)

A Rockstar é conhecida sobretudo devido a GTA (Grand Theft Auto) mas este ano foi Red Dead Redemption a ser alvo da atenção dos jogadores. Podendo ser identificado como um “GTA com cowboys” esta designação é redutora perante o que Red Dead Redemption tem para oferecer. Na pele de John Marston o jogador terá de dar caça ao seu antigo bando de forma a poder reaver a sua família, numa história merecedora da atenção de qualquer apreciador de uma boa narrativa. Para além disto ainda se tem à disposição uma boa quantidade de side-quests, mini-jogos e ainda um modo online que incentiva à formação de bandos entre jogadores. Red Dead Redemption é, desta forma, o jogo do ano de 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: